domingo, 3 de julho de 2011

A HISTÓRIA DE PETRÔNIO

Hoje fiquei sabendo como Petrônio veio parar aqui em minha casa.Em minha rua há uma obra que está parada.Mas quando ela estava a todo vapor,os pedreiros trouxeram um gato para a obra por que estavam encontrando muitos ratos.O gato era gordo,eles o alimentavam com marmitas descartáveis que eles compravam em uma pensão aqui perto.Estas marmitas são chamadas pelos cariocas de "quentinhas",pois a comida é fresca e quente.Pois a obra parou por razões que só compete ao dono e ninguém sabe quais são e os pedreiros foram dispensados,mas não levaram o gato que ficou abandonado e passando fome.E ele veio parar em minha casa e encontrou alimento e abrigo e um coração cheio de amor para dar.E ele acabou ficando aqui.Eu estava triste por ter perdido meus dois gatos e ele estava carente de uma família.Eu encontrei um amigo e ele ganhou uma família que o trata com muito amor,pois todos nós gostamos dele.E ele está ficando cada vez mais confiado e cada vez maios apegado comigo e com minha filha.Ele me procura,quando não estou por perto e quando me vê vem cheio de carinho.Nunca pensei que um dia iria ter outro gato,mas Petrônio me conquistou.Que Deus o proteja e ele viva tanto ou mais que Ernesto e Juquinha viveram,pois ele é muito jovem ainda.Deve ter um ano ou talvez até menos.Mas é muito mansinho e ronrona tão alto e forte que parece o motor de um carro.Vida longa a Petrônio,o Afunda Barcos.Meu neto me explicou porquê o pirata se chamava Afunda Barcos:porquê era muito gordo e afundava com seu peso todos os barcos em que entrava.Criança tem cada idéia!Imaginem Petrônio,o gato,afundando barcos com seu peso.Só mesmo meu neto George para me fazer rir...
Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...